Pioneira na Bahia, a plataforma Bpago foi criada há seis meses. Apesar de ter pouco tempo no mercado, a Bpago já conta com mais de 300 usuários cadastrados e movimentou mais
de R$820 mil, em boletos gerados, neste período.

Democratizar o acesso aos meios de pagamento é o principal objetivo da startup, que foca na geração de boletos bancários de forma on-line, sem burocracia e com custo fixo baixo, o que torna a empresa bastante competitiva no cenário nacional.

O diferencial do serviço está justamente na facilidade em gerar os boletos, sem a necessidade de muito conhecimento técnico. A plataforma pode ser usada tanto no computador, quanto pelo celular.

A Bpago permite que Microempreendedores Individuais (MEIs), microempresas, autônomos e empresas de grande porte gerem boletos pagando apenas pelos boletos quitados pelo cliente, o que não acontece com os bancos, que cobram tarifas que podem chegar até R$9,00, no momento do registro.

A plataforma Bpago foi desenvolvida totalmente na Bahia, na cidade de Feira de Santana. Jovens estudantes e formados em engenharia da computação, pela Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) estão por trás do projeto, que pretende alçar vôos mais altos este ano. “Vamos lançar agora o Bpago Bank, uma conta digital, que permite utilizar os recursos dos boletos e das máquinas de cartão para fazer pagamentos, recarga de celular, sem precisar abrir conta em banco, direto do smartphone”, explica Paulo Freitas, CEO da Bpago.

A startup mira na população “desbancarizada”, aquelas pessoas que não tem conta em banco. Segundo o IBGE, no Brasil são quase 60 milhões de pessoas, sem vínculos bancários, juntas elas movimentam R$665 bilhões por ano, uma soma que chega a ser maior que o PIB de países como o Chile, por exemplo. No Norte e Nordeste brasileiro, esse é o perfil de quase metade da população.

Segundo o Instituto Data Popular, o meio de pagamento mais utilizado pelas pessoas que estão fora do sistema bancário é justamente o boleto, seguido do pagamento em espécie e cartões pré-pagos.

Esse perfil de mercado tem obrigado os lojistas e empresários a utilizarem novas soluções e sistemas de cobrança para atender a necessidade dos clientes. De olho neste público, a Bpago se prepara para colocar em prática outra meta, que “é montar bases operacionais em todas as capitais do nordeste nos próximos seis meses”, conclui o CEO da Startup.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here