Em um cenário extraordinário como este, os planejamentos estão sendo reconfigurados, os negócios remodelados e, independente da área, o desafio criativo é lançado.

Para muitas empresas, a pandemia foi o gatilho para acelerarem a comunicação e trâmites de processos digitais. Para outras, o DNA já tem incorporado o intercâmbio global através de plataformas que encurtam distâncias digitalmente. E, em tempos de crise como este, estão fluindo e inclusive ampliando suas equipes, como a Amazon Prime, Rappi, Netflix, Ifood, Zoom, entre outros aplicativos, programas, e-commerces e plataformas que têm como principal ferramenta a tecnologia para facilitar a vida de qualquer lugar.

É também o caso da plataforma Punks S/A que, no quesito musical, disponibiliza uma tecnologia que oferece um player intuitivo com um acervo de mais de 500 mil músicas para trilhar qualquer conteúdo audiovisual aos produtores de conteúdo e editores. Ao digitar qualquer palavra, seja um filme, um diretor de cinema ou um sentimento, a plataforma reconhece a busca com sugestões de músicas em cima do que procuram, podendo ser ouvidas imediatamente.

Visionária por natureza, a Punks S/A tem um ecossistema digital de performance B2B para conectar grandes produtores à maior vitrine de música independente do mundo que atua no conteúdo audiovisual de TV, cinema ou streaming. Entre as demandas, 80% das músicas de seu acervo são sincronizadas com audiovisual e entretenimento e 20% publicidade.

Ligada à norte-americana Jingle Punks, criada em 2008, a sede da Punks S/A em São Paulo é uma afiliada promissora, tendo o Brasil como um hub para todos os outros escritórios da rede da América Latina. Foi o crash das bolsas de 2008 em NY que impulsionou a matriz a ter o seu primeiro boom.

Em um momento parecido, durante essa quarentena que estamos vivendo foi notado o aumento de mais de 20% de audiência em canais de TV pagos, já que as pessoas em casa assistem mais programação de entretenimento, jornalismo e, consequentemente, a publicidade. Globosat, Vice, Canal Futura, Netflix, Viacom são exemplos de grandes produtores que têm a plataforma como contínua parceira na jornada audiovisual, mesmo em épocas de queda econômica como a atual.

Isso porque seu modelo de negócio criativo e conectado fideliza grandes marcas, agências, produtoras que buscam uma curadoria de música independente para embalar uma série, um filme, um documentário ou um vídeo do Youtube. Em plena fase de expansão, a plataforma teve recente entrada no Chile e agora conquista a Colômbia, com a parceria local do produtor renomado Miguel de Narvaez. Ainda para o segundo semestre deste ano, a Punks se prepara para a implantação na Argentina e México, outros dois promissores mercados da indústria musical.

Com todos os shows e eventos cancelados durante a quarentena, além dos contínuos lives, artistas e bandas independentes continuam produzindo e compondo de casa. Funcionando normalmente, a plataforma continua alimentando seu acervo e atuando como uma fonte de renda extra a esses artistas, cada vez que sua música é escolhida para um audiovisual. Como um player intuitivo, a plataforma é procurada por produtores de conteúdo e editores que fogem das trilhas brancas e optam por uma sonoridade com mais autenticidade e personalidade no audiovisual. Além de ser uma fonte de renda alternativa, outra vantagem da Punks S/A é o seu formato de licenciamento musical rápido e menos burocrático.

Mesmo em tempos incertos, empresas são obrigadas a revisar o modelo de negócio e pensar na tecnologia como otimização de processos e produtividade. E a se questionar: quem está preparado para a crise?

Quem se deu bem pela Punks S/A

  • A dupla Patrick e Ruan com diversos syncs para Brahma e Vice;
  • Gabriel Mielnik para Skol Beats 150;
  • Os Opalas no Multishow;
  • Ivan Teixeira para Devassa;
  • Laura Finocchiaro no Superbonita do GNT;
  • Duofel no Tempero de Família do GNT e diversos programas do Canal Brasil;
  • Cosmos Brasil em mais uma parceria Vice + Ford + Canal Off;
  • Zé Barbeiro, o artista do chorinho e do samba de raiz, para programas da GNT e Multishow;
  • Bruce Aronson assina a faixa do curta “Placa de Rubi” do Youtuber Whindersson Nunes;
  • Mc Gi, com seu funk carioca mesclado aos beats da música eletrônica foram escolhidas para a MTV americana e para a 3ª temporada do Ru Paul’s Drag Race;
  • Com o rock alternativo de vanguarda, Gabriel Serapicos já entrou no episódio do “Papo com Make”, série da Vice BR;
  • Zé Ed, a voz do bloco Tarado Ni Você, teve suas músicas sincronizadas diversas vezes pelo programa Saia Justa da GNT;
  • W.I.L.L com suas faixas no programa Treme Treme do Multishow, no Cozinha Prática com Rita Lobo da GNT e em alguns vídeos da GNT Web.

PUNKS

Site: punkssa.com
Instagram: @punkssa
Facebook: https://www.facebook.com/punkssa/
Linkedin: Punks S/A

CoiNext

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here