Fala-se muito na defasagem tecnológica do Brasil em relação a países de 1º mundo, mas felizmente temos visto iniciativas para reverter isso, como o Instituto Inovação, Adrenax, Fapesp, o Fundo Criatec e o Governo Federal através da Finep.

Incentivos como os realizados por essas organizações à criação de empresas de base tecnológica (definição:”…empresas que tem como principal insumo os conhecimentos e as informações técnico-científicas.”) são cruciais para que o país passe a exercer um papel de liderança em inovação tecnológica e não fique sempre correndo por fora.

Dada essa grande importância, colocamos abaixo algumas dicas para quem quer abrir ou está abrindo uma empresa de base tecnológica.

Incubadoras

Definição: ambiente para auxiliar o estabelecimento e crescimento inicial de empresas de base tecnológica.

O que oferecem: local físico (junto com outras empresas incubadas), serviços básicos administrativos e de suporte (advogado e contador), consultorias (normalmente em gestão), realização de cursos e workshops – tudo isso com um custo bem mais baixo que o normal.

Por que incubar: ganhar tempo para pesquisa e desenvolvimento (P&D;). Nos estágios iniciais a tecnologia não é comercializável e o seu mercado foco ainda está sujeito a muita incerteza; além disso, a falta de experiência em gestão é minimizada pela ajuda de consultores e acesso fácil a serviços básicos.

Principal diferencial: contatos, acesso a investidores formais, proximidade com universidade, ambiente com outras empresas nascentes – estar num ponto chamativo para novas oportunidades.

Como achar uma? Procure sempre perto de grandes universidades e cheque suas referências e especialidades.

Incentivos fiscais

Apesar das nossas leis e impostos não serem os fatores mais favoráveis ao empreendedorismo, existem incentivos fiscais sobre imposto de renda e compra de equipamentos para P&D, na lei do bem. Logo, se você se encaixa, fique atento a essas e outras possibilidades. Peça um guia sobre como identificar e usar incentivos fiscais para P&D, aqui.

Financiamento

Ao contrário de um empreendedor de subsistência, empresas de base tecnológica dificilmente pegam financiamento de bancos, especialmente por causa dos altos juros. Para elas existem tanto os financiamentos públicos, principalmente através da Finep, quanto os investidores formais, desde investidores anjo até venture capital (veja portal capital de risco e Fundo Criatec).

Universidade

Esteja próximo de universidades de ponta em pesquisa, já que através delas você encontra os mais avançados pesquisadores, pesquisas e laboratórios – pontos básicos para seu processo de P&D.; Além disso, universidades apresentam também oferta de mão-de-obra altamente qualificada, tanto para P&D, quanto para Gestão.

Você tem mais dicas? Por favor, poste como comentário.

GestãoClick Gestão Empresarial