Aumentar a competitividade das startups da maior incubadora da América Latina, que estão situadas em um dos principais polos de pesquisa cientifica do país, na Cidade Universitária, em São Paulo. Esse é o maior desafio do Programa Incubadora SP, que depois de passar por 10 cidades do estado, chega a Capital para atender 30 startups de base tecnológica que serão aceleradas e acompanhadas pelo projeto durante todo o ano de 2018.

A iniciativa é fruto da parceria do Cietec – Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia, entidade Gestora da Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de São Paulo USP/IPEN, com o Sebrae-SP (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo).

Para Sergio Risola, diretor-executivo do Cietec “melhorar a competitividade das nossas startups é um benefício que se estende para toda a sociedade brasileira”. Segundo o executivo, o Cietec prioriza hoje a geração de negócios com o maior impacto possível na sociedade. “Muitas das startups da incubadora têm como propósito desenvolver produtos que melhorem a vida das pessoas”.

Entre as startups selecionadas estão empresas que atuam em 15 diferentes áreas, como sustentabilidade, ciências biológicas, farmacêuticas, tecnologia da informação, realidade virtual, big data, smart cities, crowdfunding, aplicativos, fintech, tecnologias para solo, educação, entre outras. O Programa Incubadora SP visa capacitar essas startups por meio de mentorias, acompanhamento especializado e com a oferta de cursos e oficinas realizados com o Escritório Regional Capital Oeste/Sebrae.

Para medir o tamanho do desafio, o Sebrae realizou uma pesquisa para traçar perfil e os principais desafios. O destaque fica por conta do grau de maturidade dos empreendimentos, muitos deles na fase de prototipagem, algo que surpreendeu os executivos do Sebrae. Das empresas participantes 68,4% já possuem um protótipo pronto e 47,4% desses em teste nos clientes reais. O maior desafio das empresas hoje é área de marketing e vendas.

O programa Incubadora SP tem como objetivo ajudar o empreendedor a superar um dos principais desafios no processo de desenvolvimento da startup: validar a proposta de valor de seu negócio, estruturar seu crescimento e a sua aceitação no mercado. “O Sebrae é o parceiro ideal para nos ajudar nesse caminho que é o do amadurecimento destas empresas e a consolidação da aceitação de suas inovações no mercado”, comemora Risola.

Para promover a competitividade e o desenvolvimento dos pequenos negócios, o programa vai combater a mortalidade das empresas e atuar basicamente em três pontos:

  1. Comportamento e desenvolvimento dentro do mercado;
  2. Eficiência do planejamento da empresa a longo prazo;
  3. Gestão do negócio com foco na parte administrativa e econômica (que muitas vezes não é a área que a pessoa se formou ou trabalha).

No decorrer da execução do programa, e de acordo com a necessidade de desenvolvimento do empreendedor, serão realizados oficinas e cursos do Sebrae/SP. Também poderão ocorrer participação de eventos gerando oportunidades de mercado e em editais de inovação. As empresas receberão orientações e monitoramento especializado na qual terão a oportunidade de se conectar com instrutores locais em uma metodologia própria desenvolvida pelo Sebrae-SP.

O Programa

A parceria Cietec e Sebrae existe desde a fundação da Incubadora USP/IPEN. “Nosso relacionamento com o Sebrae pode ser comparado com o DNA do corpo humano, juntos formamos duas hélices que se conectam para formar uma estrutura molecular que tem apoiado a consolidação de mais de 400 empresas em quase 20 anos. Por isso, estamos muito felizes com o retorno do Sebrae e em ver nossas startups em um projeto tão bem estruturado”, comemora Risola.

“Temos uma parceria de longa data com o Cietec e com esse trabalho conjunto poderemos oferecer um atendimento mais especializado, acompanhando individualmente cada startup incubada ao longo de todo o projeto, desde a formatação da ideia do negócio até o crescimento dele. A ideia é que elas saiam do programa plenamente estabelecidas”, acrescenta Alessandro de Leite Lima, do Sebrae-SP.

Pesquisa aponta o perfil das startups participantes e seus principais desafios

O Sebrae realizou uma pesquisa junto as 30 empresas do Cietec que participarão desta primeira fase do projeto. Essa pesquisa vai orientar o desenvolvimento do trabalho durante o período e visa identificar o perfil das empresas e quais são os seus principais desafios.

Deste grupo heterogêneo 63% atuam no mercado B2B, 26% no B2C e 11% nos dois segmentos. Sobre o investimento, 37% informaram ter recebido aporte de projetos públicos como Fapesp, Finep, BNDES, etc, ao mesmo tempo em que 21% que obtém recursos de instituições privadas e 32% realizam investimentos próprios.

O destaque fica por conta do grau de maturidade das empresas, o que surpreendeu os executivos do Sebrae. Das empresas participantes 68,4% já possuem um protótipo pronto e 47,4% deles já estão em teste nos clientes.

De acordo com a pesquisa, o maior desafio do programa será na área de marketing e vendas, ou seja, na geração de receitas recorrentes para as empresas. Isso porque somente 42% fazem investimento em marketing, 47,4% não o realizam e 10,5% não sabem se estão no momento de fazer este tipo de investimento, que pode ir desde o design da marca, dos produtos, até site e posicionamento no mercado. Parte deste tema, foi possível perceber que 73,7% ainda não conhecem com profundidade seu funil de vendas.

“Com base nesta pesquisa vamos realizar um cronograma que auxilie as empresas de forma completa. A metodologia contempla mentorias mensais, encontros com especialistas de mercado e soma-se com a possibilidade do incubado participar de cursos com subsídios diferenciados no Sebrae/SP”, Henrique Rafael Romão, consultor do Sebrae-SP Capital Oeste.

CredMiner

Sobre o Cietec

O Cietec, Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia, inaugurado em abril de 1998, tem como missão incentivar o empreendedorismo e a inovação tecnológica, apoiando a criação, fortalecimento e a consolidação de empresas e empreendimentos inovadores de base tecnológica. Em sua unidade de negócio são conduzidos processos de incubação de empresas inovadoras, em diferentes níveis de maturidade. Nesses processos o Cietec oferece serviços de apoio para demandas nas áreas de gestão tecnológica, empresarial e mercadológica, além de infraestrutura física para a instalação e operação dessas empresas.

Cietec possibilita a ampliação do índice de sobrevivência e competitividade das micro e pequenas empresas, oferecendo a excelência de sua infraestrutura, a capacitação do seu recurso humano e a comercialização e busca por investimento, como o investimento-anjo, capital semente e venture capital (capital de risco).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here