A notícia do dia no mundo dos negócios é a concordata da GM. É irônico e triste ver que a empresa que inventou a “obsolecência planejada” – a decisão de construir produtos que um dia terão que ser necessariamente trocados, não conseguiu se reinventar a ponto de se deixar obsoletar.

Ao invés de construir carros que o público quer – modelos menores que consomem menos gasolina sem perder o conforto – preferiu investir pesado em modelos SUVs e Hammers da vida.

Ao invés de seguir as crescentes leis ambientais que começaram a surgir nos EUA, sempre lutou contra as iniciativas e regulamentações verdes.

Ao invés de sentar e negociar mudanças profundas no relacionamento com os sindicatos de funcionários, resolveu botar mais lenha na fogueira terceirizando a produção de veículos para países como o México.

A GM está quebrada. Tão quebrada quanto os bancos americanos que faliram na recente crise financeira. O seu fim, mais que merecido, seria a falência imediata. Entretanto, o governo Obama decidiu ajudar a empresa a se reinventar injetando mais 30 bilhões de dólares na GM.

A GM acumula perdas de mais de 88 bilhões de dólares desde 2004. As ações da GM fecharam na sexta-feira valendo 0,71 dólares. Quanto tempo vai levar para a empresa pagar 120 bilhões de dólares em dívidas e juros, levando em conta que terá que vender menos e reduzir sua participação no mercado?

A GM, o ícone do capitalismo americano no século 20, o “O que é bom para os EUA é bom para a General Motors e vice-versa”, o grande exemplo do quanto funciona o “american way of life” vai virar uma empresa estatal para se safar da falência.

A operação social-capitalista vai dar certo?

Eu espero que sim, independente de quem seja o dono, eu espero que eles exijam que o importante seja feito e não o urgente.

Vinte anos atrás, o polêmico cineasta Michael Moore fez um documentário visionário sobre a GM chamado “Roger & Me”. O documentário aponta os erros gerenciais que a empresa fez ao longo dos anos e mostra que o buraco é eminente se algo não fosse feito. Ele acertou em cheio.

Ele viveu na pele toda a problemática da GM porque vive em Flint, Michigan, um dos lugares mais afetados pelas burradas da empresa. Flint é hoje uma cidade fantasma com 40% das casas e comércio vazios.

Michael Moore, com toda a propriedade e experiência no assunto GM, tem algumas sugestões a dar para Obama.

“Mr Obama, faça como o Presidente Roosevelt fez depois do ataque dos japoneses a Pearl Harbor, diga a nação que estamos em guerra e precisamos converter imediatamente todas as fábricas de carros da GM em fábricas de veículos de transporte e dispositivos movidos a fontes de energias alternativas”.

(Entre 1942 e 1945, fábricas da GM pararam de fabricar carros e passaram a fabricar tanques de guerra, jipes, aviões, rifles, caminhões, motores a diesel para navios, e todo tipo de equipamentos necessários para os EUA ganharem a segunda grande guerra)

Se a mudança radical da produção foi possível no passado, podemos fazer novamente se houver boa vontade de todos os envolvidos. É possível mudar as coisas!

Nós vivemos hoje um tipo de guerra diferente – uma guerra contra o ecosistema, uma guerra conduzida pelos líderes das grandes empresas. Essa guerra tem dois fronts, as fábricas de carros movidos a gasolina, que todos os dias cospem “armas de destruição em massa” responsáveis pelo aquecimento global.

Essa coisa chamada carro é divertida de dirigir, mas está levando a espécie humana e o planeta inteiro a ruína eminente. O outro front dessa guerra está sendo dirigida pelas companhias de petróleo que insistem em sugar do planeta o óleo preto que lhe pertence.

Presidente Obama, agora que você é dono da General Motors, converta todas as fábricas da GM em linhas de produção de novos e necessários produtos e uso.

Não coloque outros 30 bilhões de dólares nos cofres da GM para produzir carros. Use o dinheiro para manter os funcionários empregados para que eles possam construir novos modelos de transporte para o século 21. Deixe-os iniciarem as mudanças agora!

Anuncie que nós teremos trens bala cruzando o país em cinco anos! O Japão construiu o primeiro trem bala há quarenta e cinco anos!!! Hoje eles tem dezenas de trens balas cruzando o país. Com um trem desses é possível ir de Nova Iorque a Los Angeles em 17 horas! Vamos contratar as milhões de pessoas desempregadas para construir essa solução! Miami a Washington em menos de 7 horas, Chicao a Detroit em menos de 2 horas. É possível fazer e tem que ser feito!

Inicie o programa de colocar trens em todas as cidades médias desse país. Construa os trens dentro das fábricas da GM. Contrate pessoas de todos os lugares para instalar e fazer o sistema funcionar. É possível fazer e tem que ser feito!

Para as pessoas que vivem em áreas rurais que não poderão ser servidas pelas linhas de trem, faça a GM produzir ônibus movidos a energia verde. É possível fazer e tem que ser feito!

Transforme as fábricas de carros movidos a gasolina em fábricas de carros movidos a eletricidade imediatamente. MANDE EMBORA todos os medíocres que dizerm que não é possível ter um sistema de abastecimento de carros elétricos instalado nos próximos cinco anos. Essas pessoas pensam como dinossauros do século 20, não servem para construir a GM do século 21. Troque os líderes, troque os engenheiros, troque todos aqueles que dizem que é impossível mudar as coisas. É possível fazer e tem que ser feito!

Transforme algumas das fábricas vazias da GM que hoje constroem meia dúzia de painéis solares e outros meios alternativos de energia, em verdadeiras linhas de produção capazes de produzir milhões de painéis solares imediatamente. Existem centenas de engenheiros ansiosos e trabalhadores capazes de fazer isso. Troque as pessoas. É possível fazer e tem que ser feito!

Presidente Obama, Por favor não transforme a GM em uma versão menor e piorada dela mesma. Não desperdice o dinheiro das pessoas em uma empresa que constroi carros que destroem o planeta em que vivemos.”

Presidente Obama, coloque um ponto final da GM do século 20. Deixe as pessoas construirem a GM que um planeta com seis bilhões de habitantes precisa para viver em paz com o meio ambiente.

O Século 19 foi o século da agricultura, o século 20 foi o século do carro, o século 21 é o século do software, do conhecimento, do meio ambiente, do ser humano.

NADA MENOS QUE ISSO INTERESSA!

QUEBRA TUDO! Foi para isso que eu vim! E Você?

SmartBusinessPlan