Ano após ano, a Black Friday ganha mais força, sendo a data mais importante do varejo eletrônico no Brasil. Segundo estimativa da Google, o evento deve ter um crescimento entre 15% e 20% em comparação ao ano anterior, faturando a média de R$ 2,2 bilhões. O número de pessoas que pretende comprar será de 68%, enquanto no ano anterior o índice era de 61%. Diante de dados positivos, é preciso que haja um forte trabalho de infraestrutura e relacionamento com clientes e fornecedores.

Estabilidade é essencial

As plataformas devem ser desenvolvidas com tecnologias capazes de suportar o número acessos, pois qualquer instabilidade do site resulta em prejuízos aos lojistas.

Para Willians Marques, diretor-geral da Tray, uma das principais plataformas de e-commerce do país, é imprescindível revisar a estrutura e o conteúdo do site. “É fundamental testar variações de cores e layouts, utilizando um design focado em conversão, fazendo com que a navegação seja mais atrativa e intuitiva”.

Analisar a quantidade média de visitas que a loja virtual recebe e rever o serviço de hospedagem também é essencial. “Levantar os números da data em 2016 e analisar o histórico é fundamental para estimar a quantia de acessos desse ano. Existem diversas opções de hospedagens na nuvem que ampliam a capacidade de acessos. Mas para realizar um investimento assertivo em infraestrutura, é necessário entender a demanda”, afirma Luis Carlos dos Anjos, gerente de marketing institucional da Locaweb, empresa líder em serviços de internet no país.

O Marketing Digital é aliado

Ações para atrair um público qualificado são certeiras devido à tecnologia presente nas ferramentas. Segundo Victor Popper, diretor-geral da All iN, especialista em relacionamento digital, o e-mail marketing deve ser o foco. “Esse foi o principal canal de conversão entre os varejistas durante a Black Friday em 2016. A tendência é que a ferramenta mantenha o desempenho nesse ano. Segundo levantamento interno, o envio de e-mails tradicionais deve crescer 15% no período, enquanto o disparo de e-mails comportamentais aumentará 25%”.

Há outras medidas que aumentam a taxa de conversão. “Redes sociais e links patrocinados são eficientes para gerar e qualificar leads. Na Black Friday, entretanto, o foco é a venda. Ações que atingem uma grande quantia de pessoas tornam-se as melhores opções. Ferramentas que permitem a segmentação e facilitam a mensuração são ideais para empresas que buscam ter grande participação na data”, comenta Francisco Cantão é fundador do site Black Friday de Verdade e sócio-diretor da Proxy Media Marketing Digital.

Segurança deve ser prioridade

Contar com um banco de dados completo e atualizado é fundamental para evitar golpes. “Para mitigar os riscos, existem instrumentos que confirmam as informações para transações on-line, possibilitando que o lojista comprove telefone, idade, nome de parentes, endereço e signo”, explica Rafael Albuquerque, Diretor Comercial da Unitfour, empresa fornecedora de banco de dados.

Marketplaces como alternativa

Segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), houve um aumento de 32,1% no número de varejistas cadastrados nos shopping centers virtuais no segundo trimestre do ano. “Isso comprova a necessidade da exposição dos produtos em lojas de grande porte, que já estão no inconsciente dos consumidores. A Black Friday se popularizou nos últimos anos, assim como o aumento das fraudes. Os marketplaces garantem segurança para os vendedores e compradores, pois fazem o intermédio por meio de lojas de grande experiência no setor”, afirma Carlos Alves, diretor de Marketplace da ABComm.

O outro lado

E de nada adianta preparar estratégias de marketing sem o planejamento operacional da loja. “O negócio precisa ser capaz de atender a demanda. Além disso, é preciso realizar a organização de estoque e a logística interna e externa”, analisa Clóvis Souza, fundador e CEO da Giuliana Flores.

Para Tiago Girelli, Diretor da FBITS, empresa realizadora do Black Friday Experience, evento que promove networking entre organizações para estreitar o relacionamento e definir parceiros estratégicos para o período, parcerias de sucesso devem ser vias de mão dupla. “As companhias e os fornecedores devem estabelecer padrões para garantir que os objetivos de ambos sejam atingidos, resultando em vantagens para os consumidores, que são beneficiados com preços e prazos melhores”, finaliza o executivo.

SmartBusinessPlan


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here