As redes sociais exercem relevante importância na estratégia de marketing digital de toda empresa interessada em se aproximar do seu público de forma mais amigável e duradoura.

Mas sabe-se que nem todas estão preparadas para assumir esse papel, tão pouco sabem de fato como traçar uma estratégia de conteúdo, que traga, além do relacionamento, novas oportunidades de negócios.

Parece fácil. Abrir o perfil é gratuito, existem inúmeras ferramentas disponíveis no mercado, diversos profissionais que se dizem entendedores e estrategistas de marketing digital, e por aí vai. O difícil é entender como fazer uso de tudo isso de forma realmente útil para a marca, que eleve os esforços a um patamar duradouro e, que ao longo do tempo, se mostre relevante.

Usando uma analogia muito comum em criação, o bom profissional de marketing digital faz muita pesquisa antes mesmo de abrir o Photoshop (principal software utilizado). É sabido que trabalhos iniciados pelo “mágico das fotos” estarão bem distantes do ideal, pela falta de pesquisa e conhecimento do produto/serviço em questão. O mesmo se aplica ao planejamento de redes sociais, que deve ser iniciado depois de muitas curtidas, leitura e análise de dados.

Dá-se o nome de “Diagnóstico”, que nada mais é do que a análise e tabulação dos dados observados, capturados manualmente e, também através de ferramentas de monitoramento, desenvolvidas com tecnologia de rastreio e captura, faz uma varredura na internet a partir de um setup com informações básicas de cada cliente. Ao fazer o diagnóstico, você identificará padrões do segmento, práticas e expectativas comuns dos seguidores, formatos mais consumidos, frequência de postagens, volume e padrão de interação, rede social mais utilizada, entre tantas outras informações importantes para a montagem de um planejamento editorial.

Também não podemos deixar de lado as funcionalidades que cada rede social disponibiliza, tendo impacto direto no conteúdo destinado a ela. E como planejar um editorial sem saber/conhecer o público que consumirá o conteúdo produzido?

Pois bem, com o Diagnóstico nas mãos teremos:

  1. Maior conhecimento de mercado;
  2. Maior conhecimento do público de interesse;
  3. Maior conhecimento dos concorrentes (o que e como fazem);
  4. Identificação de novas oportunidades de negócios;
  5. Conhecimento das melhores práticas do segmento.

O Diagnóstico se tornará um documento de pesquisa e pré-planejamento, dando total subsídio para o (re)posicionamento da marca nas redes sociais.

Muitas vezes o prazo é o grande vilão nesta etapa, pois o cliente está muito ansioso ou tem urgência (motivos diversos) que acabam impactando negativamente nesse diagnóstico, comprometendo seriamente a qualidade do editorial adotado para a marca. A consequência mais comum é um posicionamento equivocado, falta de interesse do público, baixo engajamento, maiores custos para alcançar o retorno esperado, e claro, reestruturação do planejamento praticado.

Entre as tantas funções e responsabilidades do profissional de marketing que está à frente do planejamento editorial, mostrar ao cliente a importância da etapa de diagnóstico e planejamento, estabelecendo um prazo justo para a execução, dará ao projeto maiores chances de sucesso.

Gostou do artigo? Deixe seu comentário e também sugestões de temas para abordarmos futuramente ;)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here