Muitas vezes, me deparo com a pergunta: ”você faz palestra motivacional?” No início, isso me causava um efeito sutilmente desconcertante, em que eu levava alguns minutos para responder, mas não sem antes explicar qual era o meu entendimento sobre o termo palestra motivacional.

Eu já participei dessas palestras e confesso que algumas, na hora, foram muito legais, mas depois percebi que eu continuava o mesmo e que meus obstáculos permaneciam exatamente onde estavam antes. Nada havia mudado na minha percepção sobre mim e sobre o meio em que estava inserido. Hoje, quando me perguntam se eu faço palestra motivacional, respondo com muita positividade: “sim, é exatamente isso que eu faço!” Tenho orgulho em fazer palestras que motivam as pessoas!

Propósito

Certa vez, decidi fazer um curso chamado “A Arte do Silêncio”, de uma fundação pacifista internacional (Arte De Viver). Foi a primeira vez que me encantei pelo tema “Propósito”. Entendo por propósito a intenção de fazer algo aliado a nossos valores mais elevados. Quem conhece o pensador alemão Goethe (e o famoso Instituto Goethe), provavelmente, conhece a frase: “quem é firme em seus propósitos, molda o mundo a seu gosto”, inspiradora e cujo significado vem sendo abandonado por todos conjuntamente.

Quem é firme em seus propósitos, molda o mundo a seu gosto. ~ Goethe Click To Tweet

Há quanto tempo você não examina suas aspirações, seus desejos mais elevados e compara com o seu dia a dia? Será que a realização profissional e pessoal é algo que está ao alcance de todos ou é uma especiaria para os paladares de poucos atrevidos? Uma mistura bem eclética de microproblemas, aliada à extrema dificuldade de mobilidade que subtrai todo tempo que seria entregue ao lazer. Como defender todas essas fronteiras?

Um minuto para você perceber que o assunto “você” está lá no fim da fila. Essa rotina precisa ter uma direção, e essa direção é o seu papel. Reconhecer o seu papel faz com que, apesar de ser “uma correria”, tudo isso valha a pena e, quando tudo isso vale a pena, o seu 100% aparece naturalmente.

Protagonismo

Pensar em protagonismo requer que você repense o que pretende esperar de cada uma dessas fronteiras, com que resultado ficará satisfeito, e em quais fronteiras você será mais exigente. Pensar em protagonismo requer que você reveja seus valores. Comece a fazer uma dieta de informação, livre-se do lixo informativo a que ficamos expostos, repense se quer mesmo ser rico, bonito, independente, bem informado, descolado, jovem e cheio de namoradas(os) ou se já é capaz de perceber que, além de inalcançável, esse objetivo não leva a nada.

Pensar em conhecer seu papel requer que você esteja preparado para enxergar-se e para se lançar em direção ao campo das transformações e mudanças, o que geralmente acarreta um processo onde o elemento “dor” aparecerá em algum momento. Pensar em dar o seu 100% requer o desejo da libertação, a vontade de acordar cedo para aproveitar o tempo e lembrar-se de que dessa ninguém vai sair vivo. Para começar tudo isso neste instante, pegue uma foto sua de quando ainda era criança e olhe por alguns minutos até se lembrar de quem você realmente é.

Às vezes, nos esquecemos de nossa essência verdadeira e alguns atalhos da rotina vão se tornando o caminho principal. É nesse momento que temos que rever os conceitos de protagonismo e propósito, lembrar nosso papel e viver a vida plenamente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here