Por vezes nossa atenção está na forma, deixando o conteúdo de lado. Outras, não paramos para pensar como a mensagem será recebida pelo público de interesse. A percepção e interpretação podem seguir caminhos distantes daqueles imaginados ou desejados para uma campanha do seu negócio, isso acontece pela falta de planejamento e estudo sobre o seu público e como ele interage com o propósito da sua empresa.

Davi, de Michelangelo. Foto: Nilton Santana
Davi, de Michelangelo. Foto: Nilton Santana

As experiências vividas são as fontes de informações que todo ser humano possui para evoluir e traçar novos rumos em sua vida. Nos deparamos com novas soluções, propostas inovadoras, situações mal sucedidas e inúmeras formas de olhar que, aproveitadas de forma positiva, transformam momentos em verdadeiros aprendizados. Ouvi outro dia que um divisor de águas na vida de um empreendedor/empresário bem sucedido é a sua disposição para aprender nas mais diversas situações, estar sempre ligado aos acontecimentos para fazer deles fontes de informação aplicáveis em seu negócio.

Neste mês visitei a exposição “Grandes Mestres – Leonardo, Michelangelo e Rafael” que acontece no Espaço Cultural Porto Seguro, aqui em São Paulo. A mostra reuniu obras dos gênios do Renascimento e veio para inaugurar o espaço como mais uma opção cultural da cidade, que a cada ano retribui essas iniciativas com grande volume de visitações.

A Asa Delta de Leonardo da Vinci. Foto: Nilton Santana
A Asa Delta de Leonardo da Vinci. Foto: Nilton Santana

Disposta a capturar nesta experiência algum aprendizado que valha para o meu trabalho e também algo que contribua com as entregas que faço para os meus clientes, calibrei o meu olhar para traçar um paralelo entre aquela vivência e o meu cotidiano. Esse viés pode ser interessante ao observar o poder que o espaço e o curador responsável tinham em mãos e como usaram para levar ao público visitante a experiência desejada.

Um divisor de águas na vida de um empreendedor bem sucedido é a sua disposição para aprender nas mais diversas situações, estar sempre ligado aos acontecimentos para fazer deles fontes de informação aplicáveis em seu negócio.

Vou analisar sob 3 óticas diferentes: infraestrutura, monitoria e curadoria. Fazendo um paralelo simples entre esses três itens e uma empresa, temos:

  1. Infraestrutura = Empresa.
  2. Monitoria = Produto.
  3. Curadoria = Comunicação.

As 3 Perguntas-Chave

Modelos de Leonardo da Vinci. Foto: Nilton Santana
Modelos de Leonardo da Vinci. Foto: Nilton Santana

Falando de infraestrutura, aqui representada com a “empresa” e na condição de ter estimulado o público a procurar por ela, seja em visitas físicas, no site, redes sociais ou qualquer outro ambiente, as perguntas que cabem são:

A sua empresa está preparada para atender essa demanda?

O seu produto atende às necessidades das pessoas, ou tem uma proposta de valor sem considerar quem irá consumi-lo?

E a sua comunicação, está de fato conversando com o seu público, ou apenas apresentando um monólogo onde as opiniões não são consideradas?

É curioso pensar que uma empresa ou produto de excelente qualidade podem ser prejudicados por uma comunicação ineficaz e/ou promessa de valor não percebida pelo público de interesse. Não por acaso, escolhi esta exposição, pois me impactou negativamente mesmo com um “produto” de qualidade inestimável e que, mesmo exposta em uma garagem seria de alto valor cultural, o que não aconteceu, em minha opinião, com todo o aparato mostrado.

Uma empresa ou produto de excelente qualidade podem ser prejudicados por uma comunicação ineficaz. Click To Tweet

A “visão de águia” pode ser um divisor de águas entre uma crença e um olhar analítico para o seu negócio. Procure por algo novo ao invés de validar ideias arraigadas. Conseguir ter este olhar trará insights ao invés de certezas sem embasamento, podendo traçar novos caminhos e soluções para antigos problemas.

Este artigo também pode complementar seus insights. Independentemente do produto, falo sobre se ter empatia em vendas como sendo um grande diferencial para ajudar a manter seus clientes em tempos de crise. Boa leitura!

CoiNext

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here