Existem poucas coisas mais fascinantes do que a estupidez humana. Não me refiro ao sentido agressivo do termo (se bem que não sei se existe um sentido não agressivo para esse termo), mas às atitudes sem nexo e completamente desprovidas de qualquer lógica e raciocínio.

Entro numa loja e peço uma caixa de um produto. A vendedora me informa que não vende o produto em caixas. Peço então que me dê 12 unidades (a quantidade que vem na caixa) e ela me diz que só pode me vender 6 (não, não se tratava de um produto em promoção com quantidade limitada por cliente). A alegação é a de que o estoque do produto era pequeno, se me vendesse os 12 ficaria quase sem nenhum.

Nesse momento me veio à mente o imenso número de varejistas que sofrem com os custos de excesso de estoque e imaginei que o dono dessa loja devia estar nadando em dinheiro. Além de se dar ao luxo de não girar o estoque (e realizar lucro), ainda preferem o custo de atender 10 clientes que comprem, cada um, 1 unidade do produto.

Alguém pode alegar que se vendessem tudo (ou quase tudo) para mim, a loja não teria o produto para outros clientes. Waaaaaal! (como diria o Francis), se o produto tem tanta demanda, que trabalhem com estoques maiores.

Fiquei tentado a comprar os 6, sair para tomar um café, voltar e comprar mais 6 mas minha taxa de absorção de burrice já estava em níveis elevados. Caminhei 50 metros, entrei num concorrente e comprei o que eu queria (uma caixa fechada).

E tem gente que se surpreende com o fato de tantos lojistas fecharem suas portas antes de completar 1 ano de vida.

  • Marcio Hiroyuki Miyamoto

    Boa tarde Fabio.
    Já presenciei situações como esta, ainda mais em comércios do interior de São Paulo, e tenho uma visão sobre isso.

    O pessoal nesses casos parecem se preocupar mais com o relacionamento com o cliente de não deixar faltar o produto para nenhum de seus clientes “fixos”.

    Sem contar que no caso de comércio no interior, o tempo de repor estoque é maior e isso pode trazer uma má experiencia(frustração) para o cliente de não encontrar o que ele precisa.

    Aqui em São Paulo, capital, nunca vi isso, além de promoção, ou escassez do produto, já aconteceu com os combustíveis e lembro de umas noticias que também informavam a venda limitada 2,3 por pessoa de Ipad ou Iphone, não me lembro direito.

    Mas bem… depende do cenário vira uma estupidez mesmo.

  • Oi Marcio,

    Acredito que na maioria dos casos, essa atitude por parte da empresa não seja a mais sensata. Mesmo no interior, um comerciante pode muito bem dizer ao seu cliente que ele encomendará o produto para ele, caso esteja faltando. Se ele tratar o cliente com respeito, este se sentirá bem atendido e voltará tão logo sua encomenda chegue. Essa também é uma excelente maneira do comerciante mensurar a demanda de seus produtos.

    Eu vivi no interior por um bom tempo e sei como funciona. Passei por isso quando quis comprar um produto que estava faltando. Encomendaram e voltei na loja para comprar depois.

    Penso que essa não seja uma boa prática em nenhum dos casos, no interior e muito menos na capital.

  • Sandro

    Certamente uma situação estupida, me lembro uma vez que liguei para comprar um pizza de uma promoção, no caso se você comprasse 2 pizzas você ganhava um refrigerante, liguei pedindo 4 pizzas e escolhi dois refrigerantes, a atendente disse que eu não teria direito a dois refrigerantes porque eu ja estava ganhando um da promoção e não seria justo eu levar dois refrigerante, tentei calmamente explicar que não tinha logica no que ela estava propondo mas ela não deu o braço a torcer. Cancelei o pedido e comprei em outro lugar.