O Visual Merchandising é uma pratica utilizada pelo varejo para apresentar a sua loja e produtos da melhor maneira possível.

Por essa razão, muitos pontos são levados em consideração quando o assunto é “visual” como por exemplo: vitrines, araras, nichos, displays, provadores, espaços físicos (área de circulação) comunicação entre outros.

Contudo, algo muito importante deve ser levado em consideração quando falamos de marketing: o sensorial!

Mas, por que ele é importante? Porque as vitrines fazem o papel visual de atrair e o marketing sensorial se bem realizado, faz o papel de manter o consumidor dentro de loja.

O marketing sensorial é uma das subdivisões mais criativas e atraentes do marketing para o consumidor. É através dos estímulos sensoriais que o consumidor é impactado reforçando o vínculo com as marcas que o utilizam. Os estímulos são feitos através dos nossos 5 sentidos (visão, audição, olfato, tato e paladar) despertando a curiosidade e tornando os espaços de loja ainda mais atraentes.

É claro que, já cansamos de ouvir aquele velho ditado de que “a primeira impressão é a que fica”. Mas, o fato é que ele se faz cada vez mais real diante do turbilhão de acessos à comunicação e informação por parte do consumidor.

Além de causar uma boa primeira impressão, talvez a sua marca tenha uma única chance de impressionar esse consumidor que está em busca de mais e novas experiências de compras.

Experiências de compra ultrapassam os limites do “comprar e pagar” somente. Elas despertam desejo e necessidade de retornar a sua empresa para voltar a consumir os seus produtos ou serviços.

A propósito, o marketing sensorial surgiu na Inglaterra mas muitas empresas no Brasil e no resto do mundo entenderam a importância de explorar os demais sentidos das pessoas, além do já explorado campo da visão, proporcionando uma atmosfera de venda mais agradável aumentando a probabilidade de que esse consumidor realize a compra.

Para implantar o marketing sensorial na sua empresa é importante seguir três dicas básicas: os valores da marca, o seu mix de produtos (ou serviços) e a preferência do seu público.

O primeiro deve estar presente em todas as ações trabalhadas, isto é, o cliente deve sentir/perceber a sua marca não importando o sentido que esteja sendo trabalhado.

O segundo e terceiro itens podem inibir ou privilegiar a inserção de um determinado formato sensorial.

Por exemplo, um varejista que trabalha com loja de cosméticos pode explorar a experimentação de alguns produtos dentro de loja ou através de miniamostras que podem inclusive vir de parcerias com as marcas trabalhadas pela empresa. Docerias e padarias, podem trabalhar a degustação (paladar) como sedução e ela é uma ferramenta muito eficiente. Já um varejista que tem muitas opções de produtos, pode adotar somente um tipo de marketing sensorial que é universal e capaz de conversar bem com a marca, seus produtos e clientes: a música.

Dica importante: procure uma empresa para prestar o serviço de rádio indoor (música personalizada para lojas). Desse modo você cria playlists personalizadas ao seu negócio, comunica melhor a essência da marca e ainda evita possíveis problemas com o ECAD – Órgão que regulamenta os direitos autorais.

Apontamos alguns fatores que compõem os sentidos na ambientação para te ajudar a entender melhor como explorar o marketing sensorial no seu local de vendas e começar as mudanças já:

  1. Sensações Visuais: brilho, proporções, formas, iluminação, layout de loja e cores além da vitrine bem executada.
  2. Sensações Auditivas: música, estilo musical, volume do som e um alerta: conversas paralelas da sua equipe podem ser um ponto negativo quando o assunto é despertar pelo sentido auditivo o seu cliente. Fique atento!
  3. Sensações Táteis: maciez de produtos ou estofados (toque), local para sentar, sutileza no atendimento e temperatura ambiente, que proporcionam bem-estar.
  4. Sensações Olfativas: cheiro e frescor do ambiente. Você pode ter um cheiro característico e exclusivo da sua própria marca te ajudando a reforçar ainda mais o branding.
  5. Sensações do Paladar: café, chá, espumante, água, além de balas ou chocolates na saída da loja ou no caixa. Se a sua empresa não vende produtos alimentícios não significa que não possa ser gentil servindo um café ou água, concorda?

Para citar mais exemplos de experiências de consumo, a cadeia de hotéis Marriott usou tecnologia Oculus Rift – equipamentos visuais que criam cenários virtuais – para transportar virtualmente os clientes para diferentes destinos de férias, como por exemplo o Hawaii.

Clientes procuram mais do que um bom atendimento, eles querem se sentir únicos. É por isso que a união dos 05 sentidos é tão importante para desenvolver um vínculo emocional entre marca e consumidor que é o objetivo principal do Marketing Sensorial.
E, por consequência, o aumento de vendas!

Faça um planejamento detalhado com a sua equipe de marketing e com um bom profissional de VM, tendo como foco o equilíbrio entre o tangível (produtos/serviços) com o intangível (a experiência em si).

Certamente sua marca ficará registrada na memória do cliente da maneira mais eficaz e duradoura possível.

Website: http://www.chriscorcino.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here