Em tempos bicudos como os nossos, ter algo diferente para oferecer deixa de ser apenas uma técnica de marketing para ser uma questão de sobrevivência.

Ao mesmo tempo, será que existe ainda algo realmente diferente para se oferecer?

Não me digam que é tecnologia. Aquela que inventaram há 6 meses já está em todos os camelôs da 12 de Outubro* com cópias piratas custando 10% do produto original.

Por falar em preço. Ninguém me convence de que tem um preço melhor que os concorrentes. Nem a mim, nem a torcida do Corinthians. Uma busca descuidada na internet vai me mostrar 10 opções de preços e condições de pagamento melhores para o mesmo produto, ou similares com a mesma qualidade.

Tá bom, tá bom…eu fui procurar o preço de tomate francês e não achei (se alguém achar me avise – tomate seco francês não me interessa)

Conteúdo ? Pfuáááá…faz me rir. Quer algum conteúdo equivalente ao que estou escrevendo nesse momento ? Milhares de pessoas falam a mesma coisa de formas parecidas (ou diferentes, mas com a mesma conclusão)

Mas existe um diferencial que tem me chamado a atenção, ou melhor, a combinação de dois: conveniência e atendimento. Características de um negócio quase tão antigas quanto o próprio comércio.

Não me diga que você não age de forma diferente numa loja onde você é bem atendido. Que discute preço com seu fornecedor que sabe as suas necessidades e facilita a sua vida. Que não paga um pouco a mais se a loja está na sua esquina (em oposição aquela loja baratinha que fica do outro lado da cidade e não tem estacionamento) ?

O comércio eletrônico não tem atendimento pessoal. Mas será que a usabilidade de um site não funciona como um bom vendedor ? O fato de uma loja virtual entregar exatamente o que e como prometeu não facilita a sua vida (não tem de ficar consultando o seu pedido todos os dias, nem entrando em chats de atendimento para reclamar) ?

No momento em que estiver revisando seus planos de marketing para enfrentar a crise, faça-se essas perguntas: eu tenho como melhorar meu atendimento ao cliente (treinamento de vendas, relevância, database…) e, eu tenho como deixar meus processos de venda mais agradáveis ?

Pode parecer coisas estupidamente simples. Mas tão difíceis de encontrar que se tornam grandes diferenciais.

* A Rua 12 de Outubro é a principal rua comercial do bairro da Lapa em São Paulo, há muitos anos tomada pelos marreteiros.

COMPARTILHE
Artigo anteriorAmazon Lança Kindle 2
Próximo artigoA Microsoft em 2019
Fábio Adiron
Graduado em Comunicação Social e especializado em Marketing pela FAAP e pós-graduado em Economia de Empresas pela FGV, foi responsável pela implantação de Database Marketing no Consórcio Nacional Sharp, NET Brasil e no Grupo Vale Refeição, tendo também trabalhado com planejamento e atendimento de marketing direto na Lowe Loducca e DenisonBrasil. Consultor em Marketing Direto e Database Marketing, foi fundador e diretor do IDBM e membro do conselho editorial e da comissão de Database & Listas da ABEMD.
  • Rodolfo

    Fabio,

    Os dois pontos que vc tocou são interessantes e, pelo menos pelo que percebo como consumidor aqui em Curitiba, são muito pouco explorados.

    O mais grave em tudo isso é pensar que o bom atendimento, sobretudo, deveria ser premissa de qualquer negócio – e não um diferencial.

    Pra quem se interesse pelo assunto, vale a pena correr atrás da bibliografia de marketing de serviços. Na minha visão, entender o cliente e pesquisar é fundamental.

  • Rodolfo

    Sua frase diz tudo : “são muito pouco explorados”

    Não é interessante que a gente acabe não explorando os pontos que estão dentro dos nossos próprios negócios ?

    Um abraço e obrigado pelo comentário

  • Jo@o Luí$

    Eu tenho percebido que a estratégia neste momente é baixar os preços para vender! Não acredito ser a melhor alternativa, pois o cliente pode não estar comprando, não em funçao do preço e sim pela demanda que diminuiu. A redução de preço apenas trará um novo patamar com margens ainda mais reduzida. Portanto o bom atendimento bem como a propaganda acredito será mais lembrada pelo cliente no momento da compra do que o preço baixo.

  • Bom atendimento e qualidade do produto ou serviço são os pontos fortes para ampliar e fidelizar clientes.
    Bom texto.
    Abs.