Em algum momento, ao abrir sua empresa, você já deve ter ficado em dúvida sobre como definir a missão, visão e valores do seu negócio. A busca por bons exemplos de planejamento estratégico é constante entre as empresas. A estratégia aparece em cada objetivo, seleção de produtos e serviços, treinamento de equipes e em todas as ações executadas no negócio.

Referência em marketing no mundo, Philip Kotler, defende o planejamento estratégico como uma ferramenta essencial em um cenário de constantes mudanças. Kotler diz:

“Uma estratégia clara e programas de apoio bem arquitetados podem ser inúteis se a empresa não conseguir implementá-los com cuidado”.

“Uma estratégia clara e programas de apoio bem arquitetados podem ser inúteis se a empresa não conseguir implementá-los com cuidado”. ~ Philip Kotler Click to Tweet

Afinal, ao ter um planejamento estratégico, como fazer na prática?

O consultor empresarial, Adriano Nodari, esclarece as principais dúvidas ao elaborar as etapas do planejamento estratégico. Confira passo a passo.

1. Defina Missão, Visão e Valores

Essas três premissas são bastante conhecidas quando falamos de exemplos de planejamento estratégico.

A Missão

Ao começar pela Missão é preciso repensar sobre o objetivo da empresa para com a sociedade, porque o modelo de negócio é viável e em qual aspecto social agregaria. Aqui teremos como parâmetro o cliente e dará inicio a primeira etapa do planejamento estratégico.

Neste artigo, falamos sobre como desenvolver um modelo de negócio viável e que agregue valor para o cliente, em duas metodologias diferentes: Canvas e Plano de Negócios.

A Visão

A Visão é o olhar para o futuro, os objetivos a longo prazo da empresa e como pretende compartilhar com os colaboradores e a sociedade. Diante das transformações constantes da era digital e tecnológica, não é tão simples definir o futuro, mas o importante nesse caso, é o direcionamento dos sonhos a longo prazo. Onde você pretende chegar?

Os Valores

Os Valores são construídos por meio dos exemplos comportamentais dos integrantes de toda a organização. A empresa irá definir quais são os comportamentos e atitudes que regem as tomadas de decisões internas e externas.

Um negócio especialista em alimentação saudável, por exemplo, vai ter como parte dos valores a promoção da saúde e bem-estar, foco em pessoas, responsabilidade ambiental, respeito à vida, entre outros.

2. Análise SWOT ou FOFA (em português)

A técnica SWOT ou FOFA foi criada pelo pesquisador americano Albert Humphrey entre as décadas de 60 e 70 após avaliar dados das 500 maiores corporações do mundo citadas na revista Fortune. Atualmente é a principal ferramenta quando falamos de exemplos de planejamento estratégico.

A sigla SWOT traduzida para o português significa:

  • Forças (Strenghts);
  • Fraquezas (Weaknesses);
  • Oportunidades (Opportunities) e;
  • Ameaças (Threates).

O consultor ressalta que para encontrar as possíveis Ameaças e Oportunidades é fundamental analisar o ambiente (externo) em que a empresa está inserida, portanto indica outra ferramenta muito útil, a análise PESTEL.

O método tem como objetivo entender de modo genérico os fatores externos que podem influenciar o mercado da empresa, como no exemplo abaixo:

P -> Ambiente Político;
E -> Ambiente Econômico;
S -> Ambiente Social;
T -> Ambiente Tecnológico;
E -> Fatores Ambientais (“E” de Environmental);
L -> Fatores Legais.

Toda a estrutura da análise SWOT geralmente é feita pela direção da empresa, no entanto existem divisões estratégicas que repercutem em melhores resultados.

Veja uma exemplificação no infográfico abaixo.

Missão, Visão e Valores - A Análise PESTEL

“O ideal seria que as Oportunidades e Ameaças fossem elaboradas pela alta direção, enquanto as Forças e Fraquezas fossem apontadas pelos gestores juntos com seus colaboradores”, indica o consultor.

Após a união de todos os responsáveis – direção e gestores – serão definidos os objetivos estratégicos. “Já o planejamento das ações devem ser feitos pelos gestores e colaboradores”, completa.

3. Como Definir Forças e Fraquezas?

Após pesquisar os aspectos mencionados no PESTEL e definir as Oportunidades e Ameaças o próximo exemplo de planejamento estratégico será encontrar as possíveis Forças e Fraquezas do negócio.

Como o próprio nome já diz serão avaliados os aspectos em que a empresa possui vantagens e desvantagens em relação à concorrência.

Nodari indica para a análise das Forças e Fraquezas, a estratégia de cruzar as informações, como:

  • Forças X Oportunidades: Maior potencial de crescimento (Estratégia de Desenvolvimento);
  • Forças X Ameaças: Existe a ameaça, mas a empresa tem capacidade para amenizá-la (Estratégia de Manutenção);
  • Fraquezas X Oportunidades: Existe a oportunidade, mas a empresa não tem a capacidade para aproveitá-la (Estratégia de Crescimento);
  • Fraquezas X Ameaças: Há ameaças no ambiente externo onde exatamente a empresa tem a sua fraqueza (Estratégia de Sobrevivência).
Missão, Visão e Valores - As Forças e Fraquezas do Negócio
O Quadrante das Forças e Fraquezas do Negócio

Segundo o especialista, após a Análise SWOT, Missão e Visão, a empresa define seus objetivos e a seguir o planejamento estratégico.

“Os KPI’s (Indicador-chave de desemprenho) irá apontar se as ações estão sendo efetivas para o alcance das metas”, completa.

4. Principais Dúvidas na Hora de Criar o Planejamento Estratégico

Não existem muitos mistérios nos exemplos de planejamento estratégico, geralmente nos quesitos definir objetivos e as ações, a maioria dos gestores sabem fazer a tarefa.

O alerta do consultor é em relação a algumas falhas cometidas no dia a dia das empresas ao implantar o plano. Veja exemplos clássicos:

  1. Definir objetivos que não são estratégicos, isso quer dizer, que não levam em conta a empresa como o todo;
  2. Estabelecer ações não alinhadas ao objetivo estratégico;
  3. Ficar só no planejamento e não ir para ação;
  4. Não definir os indicadores de desempenho (KPI’s);
  5. Falta de monitoramento dos resultados durante o processo;
  6. Não estabelecer ou não disponibilizar um valor de investimento preciso para o alcance das metas;
  7. Falta de treinamento para os envolvidos nos projetos e competências necessárias para atingir as metas;
  8. Determinação de objetivos inalcançáveis e sem parâmetros;
  9. Falta de apoio dos gestores.

E por fim e não menos importante.

5. Motive a Sua Equipe

Muito além das aplicações técnicas da análise SWOT, PESTEL e outras, um dos desafios da liderança é engajar os colaboradores no alcance das metas definidas. Um exemplo de planejamento estratégico de sucesso inclui a gestão de talentos.

Em um próximo artigo, falaremos sobre isso. Até lá!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here