De cada dez executivos de grandes empresas, dez são unânimes em afirmar que Peter Drucker é uma lenda. Mesmo 12 anos após sua morte, suas lições sobre administração e negócios permanecem atuais.

Considerado o pai da administração moderna, Peter Drucker ainda é reconhecido como um dos maiores pensadores sobre os efeitos da globalização na economia e nas empresas. Pode-se dizer sem sombra de dúvida que não há nenhuma ‘teoria da administração’ que não tenha partido de algumas de suas mais de 30 obras.

Reconhecida a importância de seu trabalho, nós garimpamos “8 Conselhos” que você deve aplicar em seus negócios. Mas não pense que seus ensinamentos só servem para executivos. Empreendedores também podem e DEVEM aprender com Peter Drucker.

8 Conselhos de Gestão de Peter Drucker

1. “Aqueles que fazem com amor sabem o que estão fazendo.”

Sim, você precisa amar o que faz. Isso também é chamado de paixão. Pense comigo, você realmente acredita que caras como Steve Jobs, Ellon Musk e Bill Gates passariam tanto tempo no mundo da tecnologia se eles não gostassem?

Encontre sua paixão! Porquê é lá que estará o lugar para começar seu caminho para o sucesso como empreendedor. E de acordo com a Peter Drucker, seu desempenho também depende disso.

2. “Empresários bem-sucedidos não esperam por uma ideia brilhante. Eles vão trabalhar.”

A paixão sem ação é como ter uma Ferrari na garagem sendo coberta de poeira. A realidade é que aqueles que tomam uma atitude, ou seja, se põe em ação, ganham a corrida sobre aqueles que não o fazem.

Pare de adiar o que você precisa fazer, ouça Peter Drucker e “vá ao trabalho”. Boas ideias podem surgir pelo caminho.

3. “Qual é o nosso negócio?”

Esta é a pergunta mais simples que você pode fazer a si mesmo, mas também, a mais complexa de responder. Pense bem, qual é o propósito e a missão do seu negócio? Você está claro em seu propósito?

Vou dar um exemplo. Você sabia que Ray Kroc, um dos fundadores do  McDonald’s (e isso fica claro no filme ‘The Founder‘), depois de muito batalhar pela expansão da nova franquia, descobriu que na verdade, o negócio do McDonald’s não era vender hamburguer’s, era o ramo imobiliário? Não sabia disso? Recomendo que assista ao filme.

Se você ainda não identificou seu verdadeiro negócio, pode apostar que você está perdendo muito dinheiro.

4. “Quem é o seu cliente?”

Outra pergunta simples e que guarda muitas armadilhas. Tudo começa e termina com o cliente. Eles são a razão pela qual você está no mercado. Foi por causa deles que você abriu sua empresa. E é por causa deles que muitas empresas fecham.

Acredite, a maioria das micro e pequenas empresas não conhece ‘de fato’ o seu próprio cliente. Algumas empresas grandes também não. Portanto, este é o primeiro passo a ser dado antes mesmo de desenvolver seu produto. Muitas empresas de sucesso começaram atendendo uma demanda simples, com um produto simples, mas que resolviam o problema do cliente.

Leia o artigo sobre a Joy Mangano que você entenderá por que você deve conhecer seu cliente como a palma da sua mão.

5. “Nem os estudos, nem a pesquisa de mercado nem a modelagem por computador são um substituto para o teste da realidade.”

Peter Drucker chamou de “o teste da realidade” a dura vida no mercado. Agora vivemos em um mundo de comunicação de alta velocidade, Smartphones poderosos, Redes Sociais, ‘Internet das Coisas’ e Realidade Virtual. Com isso a corrida pela inovação de produtos e serviços está cada vez maior.

Preste atenção nestas perguntas!

  1. Você dirige seu negócio em torno de uma cultura de testes e experimentação?
  2. Ou você se dedica ao “estudo de mercado”?

Uma nova geração de empreendedores inteligentes escolhe a opção número um.

6. “Idéias inovadoras são como os ovos de sapos: de mil eclodidos, apenas um ou dois sobrevivem até a maturidade.”

Peter Drucker deveria ser muito espirituoso. Uma comparação simples, mas perfeita.

Como empreendedor você deve criar uma cultura que lhe permita ir de ideias ’embrionárias’ a produtos inovadores no menor tempo possível e ao menor custo. O desenvolvimento de MVPs ou ‘Mínimo Produto Viável’ deve ser uma premissa básica. Ter ideias não custa nada e criar um MVP é mais barato do que lançar um produto definitivo no mercado. Portanto, crie uma cultura de ideias.

Os verdadeiros empreendedores entendem que isso faz parte do jogo e estão dispostos a testar mil ideias para encontrar aquelas que são fortes o bastante para sobreviver até a maturidade.

7. “Tudo o que se tem a fazer é aprender a dizer ‘não’ se uma atividade não contribui com nada.”

Sim, você tem que aprender a dizer ‘não’ e aqueles que entendem seu propósito como empresa devem ter limites claros em torno de seu tempo e recursos. Nada de investir tempo e dinheiro em produtos e serviços que não são o foco de seu negócio.

Já pensou se Ray Kroc resolvesse oferecer um cardápio completo de restaurante, como foi no início do negócio? Simplesmente não seria o McDonald’s!

8. “Muitas vezes, uma droga prescrita destinada a uma doença específica acaba sendo usada para alguma outra doença bastante diferente.”

Esteja pronto para se atualizar e não se preocupe se não foi assim que você “planejou” o uso de seu produto. Nada nunca é para sempre.

Como Peter Drucker disse acima, algumas das maiores histórias de sucesso nos negócios são o resultado de uma mudança de direção com base na resposta do mercado, como uma surpreendente e nova utilização do produto.

Um exemplo?

  • Em 1886 um farmacêutico chamado John Stith Pemberton, criou um “tônico para o cérebro”, que anos depois passou a ser chamado de Coca-Cola.
  • O Listerine – antisséptico bucal – foi criado em 1879 como um antisséptico para procedimentos cirúrgicos e era usado também para lavar o chão.
  • Thomas Adams Junior foi apresentado a uma resina vegetal de uma planta chamada Sapota zapotilla. Com esta resina tentou fazer brinquedos, máscaras, botes infláveis e pneus de automóveis. Nada deu certo. Algum tempos depois, compreendeu que essa goma deveria ser vendida como era originalmente utilizada. Nascia os chicletes Adams.

Conclusão

O austríaco Peter Drucker deixou escola. Ele afirmava que: “a empresa que conseguir vender o produto/serviço certo, para o cliente certo, com a distribuição adequada, por um preço adequado e no momento oportuno, verá seus esforços de venda reduzirem-se a quase zero, ou seja, a venda tornar-se-á automática em função de a demanda ter sido corretamente equacionada e trabalhada.”

Portanto, estude sempre, antes, durante e depois que seu negócio for aberto. Atualize-se e esteja atento aos movimentos do mercado. Use e abuse de sistemas de gestão online como CRMs e ERPs. Automatize o que for possível e foque no que é realmente importante para o seu negócio. Os clientes agradecerão, pode ter certeza disso.

E para encerrar, deixo mais uma citação:

“O planejamento não diz respeito às decisões futuras, mas às implicações futuras de decisões presentes.”

Peter Drucker

Até a próxima!

GestãoClick Gestão Empresarial


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here