De um modo geral, quando pensamos em um eCommerce ou comércio eletrônico, pensamos em uma transação comercial online entre um fornecedor e um cliente. No entanto, e embora essa ideia também seja certa, podemos ser mais específicos e realmente dividir o comércio eletrônico em seis tipos principais, todos com características diferentes.

Basicamente existem 6 tipos de eCommerce:

  1. Business-to-Business (B2B)
  2. Business-to-Consumer (B2C)
  3. Consumer-to-Consumer (C2C)
  4. Consumer-to-Business (C2B).
  5. Business-to-Administration (B2A)
  6. Consumer-to-Administration (C2A)

1. Business-to-Business (B2B)

Business-to-Business (B2B) abrange todas as transações eletrônicas de bens ou serviços realizados entre empresas. Produtores e atacadistas de comércio tradicional operam tipicamente com este tipo de comércio eletrônico.

2. Business-to-Consumer (B2C)

O tipo de negócio Business-to-Consumer para um comércio eletrônico se distingue pelo estabelecimento de relações comerciais eletrônicas entre empresas e consumidores finais. Corresponde ao setor varejista de comércio eletrônico, onde o varejo tradicional opera normalmente.

Esses tipos de relacionamentos podem ser mais fáceis e mais dinâmicos, mas também mais esporádicos ou descontinuados. Este tipo de comércio tem se desenvolvido muito, devido ao advento da web, e já existem muitas lojas virtuais e shoppings na internet, que vendem todos os tipos de bens de consumo, como computadores, software, livros, sapatos, carros, alimentos , produtos financeiros, publicações digitais, etc. Empresas como Ponto Frio, Extra e Ricardo Eletro são exemplo desse tipo de negócio.

Um outro exemplo de modelo de negócio nesses moldes, são de empresas que fazem o intermédio do processo de venda por meio de cupons, como é o caso da Rebatly. Você pode encontrar diversos produtos com descontos de grandes empresas, conforme citado anteriormente.

Quando comparado com a compra de varejo no comércio tradicional, o consumidor costuma ter mais informações disponíveis em termos de conteúdo informativo e também há uma ideia generalizada de que você estará comprando mais barato, sem comprometer um serviço ao cliente igualmente personalizado, além de garantir um processamento rápido e entrega de seu pedido.

3. Consumer-to-Consumer (C2C)

O comércio eletrônico de tipo consumidor-consumidor (C2C) abrange todas as transações eletrônicas de bens ou serviços realizados entre consumidores. Geralmente, essas transações são realizadas através de um terceiro, que fornece a plataforma online onde as transações são realmente realizadas.

4. Consumer-to-Business (C2B)

Em C2B há uma reversão completa do sentido tradicional de troca de bens. Este tipo de eCommerce é muito comum em projetos baseados em crowdsourcing. Um grande número de indivíduos tornam seus serviços ou produtos disponíveis para compra de empresas que procuram precisamente esses tipos de serviços ou produtos.

Exemplos de tais práticas são os sites onde designers apresentam várias propostas para um logotipo da empresa e onde apenas um deles é selecionado e efetivamente “comprado”. Outra plataforma que é muito comum neste tipo de comércio são os mercados que vendem fotografias, imagens, mídias e elementos de design isentos de royalties, como o Shutterstock.

5. Business-to-Administration (B2A)

Esta parte do comércio eletrônico engloba todas as transações realizadas online entre empresas e administração pública. Esta é uma área que envolve uma grande quantidade e uma variedade de serviços, particularmente em áreas como a fiscal, segurança social, empregos, documentos legais, registros e etc. Estes tipos de serviços têm aumentado consideravelmente nos últimos anos com os investimentos feitos pelos governos.

6. Consumer-to-Administration (C2A)

O modelo Consumer-to-Administration engloba todas as transações eletrônicas realizadas entre indivíduos e administração pública.

Exemplos de aplicações incluem:

  • Educação – divulgação de informação, ensino à distância, etc.
  • Segurança Social – através da distribuição de informações, pagamentos, etc.
  • Impostos – apresentação de declarações fiscais, pagamentos, etc.
  • Saúde – consultas, informações sobre doenças, pagamento de serviços de saúde, etc.

Ambos os modelos envolvendo Administração Pública (B2A e C2A) estão fortemente associados à ideia de eficiência e fácil usabilidade dos serviços prestados aos cidadãos pelo governo, com o apoio das tecnologias de informação e comunicação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here